Caiado lança Operação “Brasil É Um Só” e anuncia envio de 59 policiais ao Rio Grande do Sul

Governador reforça apoio de Goiás ao povo gaúcho, afetado por enchentes desde o fim de abril. Policiais militares e penais se somam a bombeiros para atuar no combate à criminalidade e ajuda humanitária

Mais 59 integrantes das forças de segurança e salvamento goianas partem em direção ao Rio Grande do Sul (RS) para reforçar o trabalho de garantia da ordem pública e ajuda humanitária nas regiões afetadas pelas enchentes. A iniciativa, batizada de Operação “Brasil É Um Só”, foi lançada pelo governador Ronaldo Caiado nesta sexta-feira (17/05) em evento na Praça Cívica, em Goiânia.

“Goiás não espera ser chamado. Estivemos em Brumadinho, Mariana, e agora estamos levando nosso apoio ao povo gaúcho. Não é hora de política, é hora de solidariedade e união porque somos todos brasileiros”, resumiu Caiado. Ele criticou o uso político da tragédia. “O que é mais importante neste momento é não politizar o processo. É imaginar que existe uma criança precisando de ajuda e oferecer condição de socorrê-la”, pediu.

Ao todo, 47 policiais militares e 12 policiais penais foram designados para reforçar o trabalho no RS, onde já estão equipes do Corpo de Bombeiros de Goiás. Foram acionadas unidades especializadas da Polícia Militar (PMGO), como o Batalhão de Choque, o Batalhão de Operações Especiais (Bope), o Batalhão Ambiental, o Batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam), além do Comando de Operações de Divisas (COD) e da Polícia Penal.

Junto dos policiais, seguem para o território gaúcho dois caminhões cedidos pelo Comando de Apoio Logístico e Cavalaria com doações de itens de primeira necessidade feitas pela população e por militares goianos. “Já enviamos 400 toneladas de donativos e estamos embarcando mais 400 toneladas agora no começo da semana. Vamos chegar tranquilamente a 800 toneladas de alimentos, material de higiene, medicamentos, colchões, cobertores e outros itens necessários neste momento”, acrescentou Caiado.

Atuação goiana
Já são duas semanas de trabalho realizado por profissionais de Goiás no Rio Grande do Sul. Até o momento, os 28 bombeiros goianos designados para a missão já fizeram 252 atendimentos. Apenas em salvamentos aéreos, foram 22 contabilizados em municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre como Canoas, Novo Hamburgo, Estância Velha e Eldorado do Sul. Outros 230 acionamentos terminaram em resgates de pessoas e animais ilhados. 21 militares retornaram ao solo goiano, em esquema de revezamento com os colegas.

O secretário de Segurança Pública, Renato Brum, reforçou a importância do trabalho integrado entre forças de segurança e salvamento dos estados, sobretudo em momentos de grandes tragédias. Ele elogiou a capacidade dos bombeiros e policiais militares e penais goianos, e indicou que a Polícia Civil e a Polícia Técnico-Científica podem ser acionadas, caso haja necessidade. “Vamos pedir a Deus que isso não ocorra, mas caso haja necessidade de identificação de corpos, faremos esse trabalho em conjunto, de forma integrada”, disse ele.

O comandante-geral da PMGO, coronel Marcelo Granja, lamentou que mesmo durante tragédias como a do Rio Grande do Sul haja pessoas roubando, furtando e cometendo outros crimes — daí a necessidade de envio dos policiais para garantir a ordem pública. Ele destacou ainda que os policiais se voluntariaram para o serviço. “Que esses heróis possam cumprir sua missão de ajudar o povo gaúcho e retornar em segurança para as suas famílias”, desejou ele.

Mais doações
O comboio de 15 carretas, contendo mais de 290 toneladas de donativos, que partiu de Goiás no dia 10 de maio, chegou ao território gaúcho afetado pelas enchentes três dias depois. Outras quatro carretas, com 108 toneladas de doações, saíram de Goiânia em 14 de maio. Ao todo, já foram enviadas 60 toneladas de cestas básicas, 100 mil litros de água mineral, 10 mil unidades do alimento Mix do Bem, colchões, cobertores, roupas de cama, filtros de barro, ração animal e remédios, além de 42 toneladas de vestuários.

A arrecadação de donativos segue até o próximo dia 22. Roupas e calçados não serão mais recebidos, de acordo com o Corpo de Bombeiros, em razão da quantidade já enviada. Em comunicado, a corporação solicitou concentração em doações de itens ainda em falta, como colchões, kits dormitório (travesseiros, lençóis, fronhas e cobertores), kits de higiene pessoal e materiais de limpeza.

O Governo de Goiás reforça que a entrega dos donativos é fruto de colaboração com a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), a Saneago, a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), a Central Única das Favelas de Goiás (Cufa Goiás), o Comando de Operações da Defesa Civil, além de empresas privadas como a transportadora Rit Log, o Grupo José Alves, a Ypê Mineradora e a Caramuru Alimentos.

Fotos: André Saddi

Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Compartilhe seu amor
Alan Ribeiro
Alan Ribeiro

Alan inicia seus trabalhos com o único objetivo, trazer a todos informação de qualidade, com opinião de pessoas da mais alta competência em suas áreas de atuação.

Artigos: 15304