Governo de Goiás inicia obras de restauro da Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Jaraguá

Projeto de requalificação do templo religioso está previsto para durar seis meses. Investimento do cofre estadual é de R$ 3,5 milhões

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), deu início às obras de restauração e requalificação da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, da cidade de Jaraguá. Com investimento do tesouro estadual na ordem de R$ 3,5 milhões, a previsão é que os trabalhos sejam concluídos em fevereiro de 2025.

O projeto de arqueologia no templo inclui os serviços de revisão e restauração da cobertura (estrutura e telhamento); revisão de paredes e revestimentos internos e externos; e restauração dos pisos (tabuado de madeira, mezanela, pedra de Pirenópolis).

Também serão restaurados a escada de madeira; os altares (altar-mor e colaterais); o forro em policromia; as esquadrias de madeira (portas e janelas); o coro, além de revisão das instalações elétricas e sanitárias, e instalação de circuito fechado de TV – CFTV Musealização.

A secretária de Estado da Cultura, Yara Nunes, ressalta que a restauração deste rico patrimônio histórico é um compromisso do Governo de Goiás com a cultura, a história e a fé dos goianos. “As obras de reforma, iniciadas recentemente, visam garantir a preservação desse patrimônio cultural para as futuras gerações. Mais do que restaurar o prédio, estamos resgatando a memória e a identidade do nosso povo”, afirma.

Patrimônio Material e Imaterial
A Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos de Jaraguá foi tombada em 1960 pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Datada de 1776, a Igreja foi a terceira a ser edificada no município. Sua construção foi feita pela irmandade de negros de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

O templo religioso se destaca na cidade pela sua localização, implantado em terreno em aclive, situado ao centro de uma praça, margeado pela serra de Jaraguá. A edificação foi construída seguindo as mesmas características da arquitetura religiosa do período da mineração no estado de Goiás. Seu interior é peculiar, composto por um conjunto de bens artísticos: o altar mor, o forro da capela mor, o altar lateral, o arco cruzeiro, o púlpito e o coro.

Foto: Secult Goiás

Secretaria de Estado da Cultura – Governo de Goiás

Compartilhe seu amor
Alan Ribeiro
Alan Ribeiro

Alan inicia seus trabalhos com o único objetivo, trazer a todos informação de qualidade, com opinião de pessoas da mais alta competência em suas áreas de atuação.

Artigos: 15228