Quase um terço dos advogados goianos faz bico ou tem outra atividade, revela levantamento da advocacia

Lançado no último dia 26, o “censo” mostra que 28% dos advogados goianos fazem bico em outra profissão ou atividade para complementar renda.

Um estudo buscou identificar as características da advocacia brasileira, observando dificuldades, peculiaridades e padrões gerais e regionais do exercício da profissão. Lançado no último dia 26, a pesquisa mostra que 28% dos advogados goianos fazem bico em outra profissão ou atividade para complementar renda. A principal função exercida pelos advogados “fora” do direito é a de professor.

O percentual de profissionais da advocacia em Goiás que exercem outras atividades é semelhante ao apurado no cenário nacional (28%). A maior parte desses profissionais trabalham como professor (19,9%), servidor público (12,6%) e empresário (9,6%), além de corretor de imóveis (1,8%), agricultor (1,5%), vendedor (1,2%), músico (0,8%) e motorista de aplicativo (0,8%).

Encomendado pelo Conselho Federal da OAB à Fundação Getúlio Vargas (FGV), o estudo contou com 20.885 advogados e advogadas, que responderam a 42 perguntas em uma plataforma online entre agosto e outubro de 2023.

A análise dos dados obtidos aponta que a profissão é majoritariamente feminina, tanto em Goiás (50%) quanto no cenário nacional (também 50%). Os homens são 48% em Goiás e 49% no Brasil, além de 1% pertencente a outras identidades de gênero. Quanto à faixa etária, a maior parcela é constituída por pessoas entre 24 e 44 anos, totalizando 55%.

Rendimentos

Segundo o estudo, 45% dos dos advogados tem renda familiar mensal de até 5 salários mínimos (cerca de R$ 7 mil). Os que recebem até 2 salários mínimos representam 14% do total e os que recebem entre 2 a 5 são 31%.

A menor faixa de rendimento (até 2 SM) é notadamente maior entre os jovens de 21 a 23 anos (66%), caindo para 41% entre os que têm 24 a 44 anos; 26% na faixa de 45 a 59 anos; e 25% entre os que têm 60 anos ou mais.

O Brasil é o País com o maior número de advogados por habitantes do mundo, com um profissional a cada 164 habitantes, 1,3 milhão ao todo. “Esse 1º Estudo Demográfico da Advocacia Brasileira traz dados que permitem analisar o quanto a área tem logrado avanços quanto à equidade, notadamente no que se refere às variáveis renda, cor/raça e gênero, esta última, focalizada neste tópico”, diz o texto.

Área de atuação

O levantamento revela ainda que o direito civil é a principal área dos advogados goianos, com 26% dos profissionais atuando nesse segmento, seguido por família e sucessões (17%), direitos trabalhistas (12%) e direito previdenciário (11%).

Outro ponto de destaque é que a maior parte dos advogados goianos atuam no interior (65%), contra 24% que atuam na Capital ou região metropolitana.

Objetivo

Segundo o presidente nacional da OAB, Beto Simonetti, com o melhor entendimento das demandas e necessidades das diferentes regiões e contextos, o objetivo do Ordem é elaborar e manter iniciativas mais efetivas para os profissionais, a exemplo de ações de defesa de prerrogativas e honorários. 

“Olhar para essas informações permite-nos refletir o que já realizamos até aqui e observar o longo caminho que ainda temos pela frente para o aprimoramento das políticas internas em prol da classe, constitutivas do escopo de democratização da OAB. Em um primeiro momento, podemos concluir que a OAB está caminhando para o rumo certo: continuar a interiorizar o Sistema OAB e garantir a pluralidade de advogados e advogadas dentro de nossa instituição”, salientou.

O vice-presidente da OAB Nacional e coordenador do 1º Perfil ADV, Rafael Horn, reiterou o compromisso com o progresso democrático da instituição para garantir mais avanços e impedir retrocessos. “O estudo, portanto, nos permite seguir trabalhando por arranjos político-legais e pela elaboração de novas possibilidades de estruturação de uma advocacia e de uma cultura jurídica pautada na igualdade consentânea ao Estado Democrático de Direito”, disse. 

“Os dados coletados são essenciais para planejarmos o futuro da advocacia no Brasil, garantindo que nenhum advogado, independentemente de sua localização ou especialidade, fique sem apoio”, complementa Horn.

Compartilhe seu amor
Alan Ribeiro
Alan Ribeiro

Alan inicia seus trabalhos com o único objetivo, trazer a todos informação de qualidade, com opinião de pessoas da mais alta competência em suas áreas de atuação.

Artigos: 15591