Escolas de Ensino Fundamental do Estado incluem disciplina de Educação Financeira

Curso integra oferta de disciplinas eletivas, com 10 opções de temas associados ao cotidiano. Para aplicação do módulo, Rede Estadual tem parceria do Banco Central, por meio do programa Aprender Valor

A partir deste ano, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc/GO), promove a oferta de disciplinas eletivas nas grades curriculares das escolas regulares da rede pública, do Ensino Fundamental II. Alunos de 6° ao 9° ano podem escolher entre 10 opções de disciplinas adicionais. Dentre elas, a Educação Financeira tem se destacado e, até o fim de 2024, todos as escolas estaduais já terão este módulo como opção de eletiva.

Com enfoque em apresentar noções básicas de cidadania e consumo sustentável aos estudantes, a eletiva mescla conhecimentos de Matemática, Administração e, até mesmo, de História e Ciências Sociais. Para implantar a nova disciplina, por orientação do Ministério da Educação (MEC), a Secretaria recebe suporte pedagógico e financeiro do Banco Central, por meio do programa Aprender Valor. A iniciativa apresenta mais de 65 projetos à disposição dos professores para desenvolverem com os alunos.

Com acompanhamento constante das coordenações regionais de Educação (CREs), as escolas da rede têm a oportunidade de aplicar trabalhos práticos visando maior fixação do que for aprendido no decorrer da eletiva. Segundo a coordenadora estadual do Aprender Valor, Marlene Faria, o apoio do projeto está disponível a todas as escolas da rede estadual. Ela explica que a inserção da Educação Financeira na grade dos alunos aproxima a aprendizagem escolar da vida prática.

“Esse módulo coloca para as escolas o desafio de implementar projetos escolares transversais mobilizando profissionais que atuam em diversas áreas do conhecimento e inserindo nas rotinas escolares a gestão de projetos dessa natureza. Atividades como levar as crianças ao mercado para fazer compras com uma quantia específica, desenvolver uma campanha em casa para diminuir a conta de luz, são exemplos de práticas a serem estabelecidas nessa eletiva”, explica.

Ações nas escolas
Alunos das turmas de 7° ano da Escola Estadual João Fagundes Furtado, de Porangatu, no interior do estado, vêm colocando em prática os conhecimentos adquiridos por meio de diversas atividades: a confecção de cofres de porquinho com material reciclável, a elaboração de cartazes de conscientização de gastos, o uso de panfletos de mercado para realizar situações problemas e com a produção de panfletos com o material pesquisado durante as aulas.

A professora Dilza Vilas Boas, que ministra a disciplina para o turno vespertino, conta que, até agora, foram trabalhados os conceitos de Educação Financeira, orçamento doméstico e público, situações problemas com adição e subtração, origens do dinheiro etc. “Os alunos têm demonstrado interesse pois é algo do cotidiano e estão aprendendo a importância de saber poupar para realizar sonhos.”

“Estudar Educação Financeira foi como abrir uma porta pra um mundo novo. A gente tá aprendendo a lidar com dinheiro de um jeito que ninguém nunca ensinou na escola antes”, afirma a estudante Mikaelly Vitória Siqueira. A adolescente de 12 anos faz o 7° ano na Escola Estadual João Fagundes Furtado, de Porangatu, onde a eletiva já é ofertada. Ela que integra a turma da professora Dilza, tem tido experiências bastantes proveitosas e já tem planos para o futuro. “Aprendi que não é só ganhar e gastar, tem todo um esquema de poupar e investir também”, conclui.

Foto: Seduc

Secretaria de Estado da Educação – Governo de Goiás

Compartilhe seu amor
Alan Ribeiro
Alan Ribeiro

Alan inicia seus trabalhos com o único objetivo, trazer a todos informação de qualidade, com opinião de pessoas da mais alta competência em suas áreas de atuação.

Artigos: 15304