1º de Maio: história e perspectivas do feriado que completa cem anos no Brasil

Renato Ribeiro*

Marco na luta por direitos trabalhistas, a data de 1º de maio celebra o Dia do Trabalho em mais de 150 países. Foi em 1º de maio de 1886 que cerca de 340 mil trabalhadores fizeram uma greve geral em Chicago, nos Estados Unidos. Depois dessa greve, o movimento se espalhou por todo o país, com milhares de trabalhadores paralisando suas atividades, os quais lutavam, dentre outras pautas, pela redução da jornada de trabalho, cuja duração média somava de 10 a 16 horas por dia.

A greve geral se estendeu por vários dias e terminou com um confronto violento entre trabalhadores e policiais. Vários trabalhadores foram presos e alguns foram condenados à morte.

Três anos depois do “Massacre de Chicago”, em 1889, um congresso de socialistas em Paris, na França, passou a difundir o 1º de Maio como uma data em memória aos grevistas reprimidos em Chicago. O dia passou a ser um símbolo da luta pelas causas trabalhistas, sobretudo a redução da jornada de trabalho.

As primeiras normas trabalhistas brasileiras surgiram a partir da última década do século XIX. Em 1912 foi fundada a Confederação Brasileira do Trabalho (CBT), durante o 4º Congresso Operário Brasileiro. A CTB tinha o objetivo de reunir as reivindicações operárias, como jornada de trabalho de oito horas, fixação do salário mínimo, indenização para acidentes e contratos coletivos ao invés de individuais.

No Brasil, a data passou a ser considerada como feriado nacional em 26 de setembro de 1924, por meio do Decreto 4.859, assinado pelo então presidente Arthur da Silva Bernardes. Então, neste 1º de Maio de 2024, o feriado se torna centenário.

Exatos cem anos depois da publicação do Decreto, o Dia do Trabalho é uma oportunidade para refletir sobre as conquistas alcançadas pelos trabalhadores ao longo da história e sobre os desafios que ainda persistem. É um momento para refletir também sobre as atualizações constantes que ocorrem no âmbito trabalhista e reforçar a importância da valorização do trabalho digno e justo, sem qualquer tipo de discriminação.

 
Esta importante data é uma oportunidade para reconhecer a importância do trabalho na construção de um mundo melhor e mais justo. É um lembrete de que, apesar dos desafios, quando os trabalhadores se unem, eles têm o poder de criar mudanças significativas e inovadoras.

Desde sempre, o trabalho é a força motriz de uma sociedade, é por meio dele que as mudanças sociais, econômicas e tecnológicas são impulsionadas. Por isso, neste dia, em especial, parabenizo todo o povo de Catalão, que é corajoso e que acredita no trabalho como a força propulsora que move um município rumo à inovação.

Aos trabalhadores que movimentam a cadeia produtiva do nosso município, todo o meu reconhecimento e admiração!


Fonte: Estadão. Curiosidades do mundo da Política. 27/4/2024.

Portal Mundo Sindical. 30/4/2024.

Renato Ribeiro é Presidente do Sindicato Rural de Catalão, empresário, produtor rural, casado, pai de dois filhos. Apaixonado pelo agro, por Goiás e por Catalão.
Compartilhe seu amor
Alan Ribeiro
Alan Ribeiro

Alan inicia seus trabalhos com o único objetivo, trazer a todos informação de qualidade, com opinião de pessoas da mais alta competência em suas áreas de atuação.

Artigos: 15304