ANUNCIEAQUI01
FB_IMG_1629998940997
Colunas Júlio Paschoal

Júlio Paschoal: A BANALIZAÇÃO DA POLÍTICA

ANUNCIEAQUI01

A ânsia de poder tem levado políticos de Goiás, e do Brasil, a fazerem acordos que transcendem os interesses da população.

Desafetos históricos se alinham e passam por cima de tudo que defenderam até então, olhando especialmente para o próprio umbigo.

O que está em jogo é apenas o poder, porque se acostumaram com ele ou por pouco tempo que estiveram nele.

Não se olha o estatuto dos partidos e muito menos o que eles defendem , muitos políticos, nem os conhecem, na maioria das vezes defendem e ou praticam no seu dia a dia, tudo aquilo que não encontra respaldo nas diretrizes dos partidos.

Os acordos são feitos entre as cúpulas dos partidos, que se coligam, no campo majoritário. O que se defende está na sua grande maioria descolado das necessidades da população mais empobrecida, a que mais necessita de ações de governo.

Nas costuras políticas, sobra pouco tempo, para o debate de bons projetos, que possam levar ao desenvolvimento regional, fato esse que asseguraria empregos e renda aos Municípios.

O ponto alto das discussões passam primeiro por quais cargos, tocariam para cada partido e qual seria o papel de cada líder, na construção possíveis arranjos vitoriosos.

Um outro ponto a destacar é tempo de televisão, que a coligação irá proporcionar.

Portanto meus amigos vocês precisam estar atentos a essas negociatas, que pouco acrescentam para: Municípios, Estados e o país.

A saúde, o desemprego e a educação, precisam de boas políticas públicas, para melhorar a qualidade de vida das pessoas, para tanto é preciso ter mais responsabilidade ao tratar de questões que envolvem a população e não continuarem banalizando a política, como fazem aqueles, que colocam o atendimento das demandas da população em terceiro plano.

Júlio Paschoal – Economista e Professor da UEG-GO.

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar