Policial

Polícia realiza Operação Colludium

IMG-20200929-WA0064

Uma grande operação policial está sendo realizada nesse momento pra apurar a ação criminosa de várias empresas na fabricação de placas.
Batizada de Colludium, a Operação tem o objetivo de dar cumprimento a 31 mandados de busca e apreensão. Os mandados estão sendo cumpridos na sede do DETRAN, em empresas de fabricação e estampagem de placas veiculares, bem como nas residências dos investigados. Os mandados judicias de buscas foram cumpridos da seguinte forma: 20 alvos em Goiânia; 02 em Anápolis; 04 em Aparecida de Goiânia; 01 em Porangatu; 01 em Valparaíso; 01 em Senador Canedo; 02 em Santo Antônio de Goiás; 01 em Trindade. Foram apreendidos documentos, celulares e computadores. São investigadas nesta operação 24 pessoas jurídicas e 09 pessoas físicas.
As investigações começaram a ser feitas pela Deccor em fevereiro deste ano e apontam para a existência de duas organizações criminosas distintas, uma que teria atuado até o ano de 2018 e outra que estaria operando atualmente, utilizando-se do mesmo esquema criminoso da antecessora. Segundo apurado, empresários do ramo de fabricação e estampagem de placas veiculares teriam se unido no sentido de formar um verdadeiro cartel, empregando, para isso, várias empresas em nomes de “laranjas” e familiares. A formação de cartel se deu na prestação de serviço de estampagem de placas veiculares.
Além disso, há indícios de que membros dessa organização criminosa teriam o costume de cobrar a quantia de R$ 70 mil de empresários interessados em credenciar suas empresas no ramo de estampagem, contando, para isso, com a participação de servidores do DETRAN. O prejuízo aos cofres públicos provocado pelo esquema criminoso ainda está sendo calculado.
Participaram da operação 150 policiais civis e 05 peritos da SPTC. A investigação apura a ocorrência dos crimes de formação de cartel, corrupção passiva e organização criminosa.
IMG-20200929-WA0065

IMG-20200929-WA0063

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar