Política Tecnologia

Nilson Gomes quer que Goiânia cumpra Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

IMG-20200830-WA0091

Meta de Cidade Inteligente inclui resiliência, tecnologia e 17 ODS, como erradicar pobreza e fome, investir em vida saudável e Educação de qualidade

Para Goiânia ser “Cidade Inteligente, Capital Brasileira da Tecnologia Social”, o jornalista e advogado Nilson Gomes aponta como receitas duas iniciativas da Organização das Nações Unidas. Uma é a resiliência, um conceito da física levado para a administração pública em casos de tragédias — e em 2021 Goiânia precisa se recuperar dos efeitos do coronavírus. A outra é a sustentabilidade.
Em 2015, a ONU lançou “17 objetivos de desenvolvimento sustentável para transformar nosso mundo”, chamados de ODS. No Brasil, cidades como Salvador aderiram:
“O prefeito ACM Neto fez dos ODS um verdadeiro guia das políticas públicas”, conta Nilson Gomes.

QUALQUER PESSOA

Entre os objetivos estão atribuições que podem ser encampadas por qualquer pessoa (ter uma vida saudável, por exemplo), empresa (produção sustentável, trabalho digno) e as três instâncias de poder, Município, Estado e União.
“Prefeitura tem a ver, direta ou indiretamente, com os 17 ODS, como vetora ou executora, sozinha ou em parceria”, diz Nilson Gomes, que é pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo Democratas. Ele se compromete integralmente com a sustentabilidade.

MAR NASCE AQUI

Até o item 14, “Oceanos, mares e recursos marinhos”, é de responsabilidade de quem mora distante do litoral:
“A embalagem de plástico não reciclada pode ir pra rua. Como Goiânia está quase toda impermeável e praticamente não tem coleta seletiva, vem a enxurrada e leva o plástico pro bueiro. Daí pro Meia-Ponte e, mais longe, ao mar”.
Os dois primeiros objetivos, findar a fome e a pobreza, serão fundamentais no pós-pandemia. Para isso, Nilson espera a continuidade dos programas sociais do governo federal e projeta duas iniciativas:
“Ação social em Goiânia é ter onde o povo trabalhar. Por isso, as duas grandes metas são gerar empregos, gerar empresas; salvar empregos, salvar empresas”.

SEM BUROCRACIA

Para isso, Nilson deseja acabar com a burocracia para quem vai abrir negócio e amparo a quem já está instalado. Como as secretarias e a própria prefeitura deixarão de ter sedes, Nilson diz que nesses locais vai fazer coworkings, para quem se formou e não está na área de graduação, quem ficou desempregado ou quem faliu.
Nas regiões da 44 e da Bernardo Sayão, a ideia é fazer Supercoworkings da Moda, para “3 mil lojistas sem loja, que estão sem capital de giro, mas são empreendedores”.
O coworking é um local com espaços compartilhados. Nilson planeja implantar 80 coworkings nas 32 regiões de Goiânia (uma subprefeitura a cada 50 mil habitantes e o subprefeito será um aplicativo).

CONHECIMENTO

Neto impregnou Salvador com os ODS. Nilson diz tê-los visto impressos até em coworking público no meio de parque.
“Vamos ter, inclusive, Coworkings do Conhecimento, com material atualizado para quem vai prestar concurso, vestibular, Enem e exame da OAB e CRC, o que colabora no Objetivo 4 (Educação de qualidade)”, diz o pré-candidato.
No coworking, não se paga aluguel nem energia, tem internet de qualidade e workshops constantes.

OS 17 ODS

Veja a lista dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável:

1 Erradicar a pobreza
2 Acabar com a fome
3 Vida saudável
4 Educação de qualidade
5 Igualdade de gênero
6 Água e saneamento
7 Energias renováveis
8 Trabalho digno e crescimento econômico
9 Inovação e infraestruturas
10 Reduzir as desigualdades
11 Cidades e comunidades sustentáveis
12 Produção e consumo sustentáveis
13 Combater as alterações climáticas
14 Oceanos, mares e recursos marinhos
15 Ecossistemas terrestres e biodiversidade
16 Paz e justiça
17 Parcerias para o desenvolvimento

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar