Solidariedade

Bombeiro goiano salva família austríaca que se afogava em praia do RJ

IMG-20190809-WA0055

Um bombeiro de Goiás que passava férias no Rio de Janeiro com a esposa e os filhos salvou uma família austríaca que estava se afogando na Praia de Copacabana. Um vídeo mostra o momento do resgate (veja acima).

O caso aconteceu no fim da tarde da última terça-feira (6). O cabo Marco Aurélio Vaz estava acompanhado da mulher, também oficial da corporação, e dos dois filhos pequenos. Com o tempo chuvoso e o mar agitado, ele pegava conchinhas na areia com o primogênito quando notou que havia algo errado.

“Fui observando que aquela família estava se distanciando muito da praia, muito mesmo. Passei um tempo pegando mais conchinhas e constatei que uma das crianças gritava ‘help, help, help’ [socorro em inglês]. Ela afundava e voltava”, lembra.

O militar então resolveu entrar na água para ajudar o turista estrangeiro e os dois filhos dele – uma menina e um garoto. Ele se emociona ao lembrar da situação.

“Além de bombeiro, eu também sou um pai de família. Quando eu vi aquela família em perigo – eu até me emociono – me joguei na água. Usei o conhecimento que o Corpo de Bombeiro me ensinou. Aproximei da vítima e, quando cheguei, a garota estava afundando e voltando. Tinha o irmão próximo e o pai”, conta.

Cabo Vaz se joga na água para salvar família austríaca — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Cabo Vaz se joga na água para salvar família austríaca — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Vaz conseguiu pegar a menina e tentava nadar empurrando também o irmão para a orla, mas como o mar estava muito agitado, eles sempre eram jogados novamente para longe.

Durante cerca de 20 minutos, ele tentou voltar para a areia. Cansado, o bombeiro tentou manter-se calmo para conseguir fazer o resgate.

“Foi um momento que usei o treinamento do Corpo de Bombeiros. O primeiro passo é ter calma. Eu falei: ‘Vou ficar calmo e só sair [da água] eu, ela e o garoto. Só vou sair daqui morto'”, conta.

Devido à situação, várias pessoas se aglomeraram perto do ponto onde eles estavam. Dois bombeiros cariocas, que também estavam de folga, entraram no mar para auxiliá-lo.

Vaz resgatou a menina sozinho e contou com ajuda de um dos militares cariocas para retirar o garoto da água. O outro bombeiro socorreu o pai das crianças. Com sete anos de corporação, ele se disse grato por ter capacidade de conseguir salvar a família.

“Quero agradecer primeiramente a Deus e, em segundo, o Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás por me oferecer esse treinamento e me capacitar a salvar uma família”, celebra.

Bombeiro se emociona ao falar sobre resgate: 'Pensei, só saio daqui morto' — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Bombeiro se emociona ao falar sobre resgate: ‘Pensei, só saio daqui morto’ — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Fonte G1 GOIÁS

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar