Meio Ambiente

Começa a temporada de ipês; os roxos são os primeiros a florescer

50-650-ipe-roxo

As primeiras a florescer são as roxas

JA Juliana Andrade

Os flores colorem a caminhada matinal da técnica de enfermagem Andréa Maria dos Santos(foto: Juliana Andrade/Esp. CB/D.A Press)Os flores colorem a caminhada matinal da técnica de enfermagem Andréa Maria dos Santos(foto: Juliana Andrade/Esp. CB/D.A Press)

Aos poucos, eles surgem. Um ponto roxo aqui e outro ali, sinal de que está aberta a temporada dos ipês. Enquanto o inverno apaga o verde da grama e traz o marrom das folhas secas, a árvore que virou símbolo de Brasília se encarrega de colorir a cidade com cores vibrantes. O primeiro a florir é o roxo, seguido do amarelo, do branco e, por último, o rosa.

(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Típicas do cerrado, as árvores são caracterizadas pelo troncos retorcidos e floração intensa. De acordo com o Raimundo Silva,chefe do Departamento de Parques e Jardins (DPJ) da Novacap, os ipês podem chegar a 12m de altura.

Cartão-postal

É quase impossível o ipê passar despercebido.
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)

(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
Quem quer apreciar o ipê-roxo tem até julho para encontrar a árvore pela cidade. Raimundo explica que as mais antigas costumam ter uma floração mais tardia. Porém, as flores não duram muito tempo. Elas começam a cair em torno de 15 dias. “O branco é o mais rápido de todos. Ele dura cerca de cinco dias”, complementa.
De acordo com Raimundo, o ipê-branco deve florir somente em julho, se encontrando com o rosa, que chega no início de agosto. Antes deles, no fim de junho, as flores do amarelo nascem.
Com informações do Correio Brazilense

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar