Comportamento

Cultuado mundialmente, morte de Maradona é capa na imprensa internacional

IMG-20201126-WA0009

Astro foi manchete ao redor do globo.Homenageado por políticos e famosos

Maradona na capa do jornal italiano Corriere Della SerraReprodução: Corriere Della Serra

PEDRO PLIGHER – PODER 360°

A morte do astro do futebol, Diego Maradona, nesta 4ª feira (25.nov.2020), é manchete na imprensa internacional. O ídolo argentino morreu aos 60 anos, por causa de uma parada cardiorrespiratória, em sua casa, na cidade de Tigre, ao norte de Buenos Aires.

O ex-futebolista se recuperava de uma cirurgia na cabeça, feita no dia 3 de novembro, para drenar uma hemorragia no cérebro. À época, o médico pessoal de Maradona, Leopoldo Luque, havia afirmado que o procedimento era simples, mas havia preocupação pela condição de saúde do ex-jogador.

Apontado como 1 dos maiores jogadores da história do futebol mundial, ao lado do brasileiro Pelé, o argentino nascido em Lanús, cidade ao sul de Buenos Aires, teve homenagens no establishment político e virou capa nos jornais ao redor do globo.

Clarín (Argentina) foi o primeiro a noticiar o acontecimento: “Dor. Comoção mundial: Morre Diego Armando Maradona”, lamentou a publicação.

BBC (Inglaterra): “Lenda do futebol da Argentina, Diego Maradona, morre aos 60 anos”

NPR (Estados Unidos): “Lenda do futebol argentino, Diego Maradona morre aos 60”.

“Tchau Diego, você é o futebol”, disse o Corriere Della Sera (Itália). Maradona, que jogou no Napoli, é adorado no país.

“Lenda do futebol: Diego Maradona está morto”, disse o Spiegel (Alemanha).

Le Monde (França): “O Deus argentino da bola, Diego Maradona está morto”.

“Superastro do futebol, Diego Maradona morre aos 60 anos”, publicou o periódico da capital japonesa, Yomiuri Shimbun.

“RIP Diego Maradona | Um talento divino com 1 pouco mais que 1 toque demoníaco”, afirmou o South African. 

 corriere-868x644 (1)

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar