Coronavírus

Goiás tem 133 casos confirmados de coronavírus e cinco mortes

IMG-20200328-WA0258

Outras dez mortes são investigadas

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) informa que há 133 casos de doença pelo coronavírus 2019 (Covid-19). Destes, há cinco mortes confirmadas. No Estado, há 2.910 casos suspeitos em investigação. Outros 1.272 já foram descartados.

Os casos confirmados foram registrados nos municípios de Águas Lindas de Goiás (1), Anápolis (11), Aparecida de Goiânia (1), Bom Jesus de Goiás (1), Campestre (1), Catalão (1), Cidade Ocidental (2), Goianésia (5), Goiânia (76)*, Itumbiara (2), Jataí (3), Luziânia (6)*, Nova Glória (1), Nova Veneza (1), Paranaiguara (1), Rio Verde (8), São Luís dos Montes Belos (2), Senador Canedo (1), Silvânia (1), Trindade (1), Valparaíso de Goiás (6) e Vianópolis (1).

Há 12 casos confirmados internados. Destes, 2 estão na rede pública em unidades estaduais e 10 estão na rede privada**. Há ainda 67 casos em investigação que encontram-se internados; destes, 40 estão na rede pública e 27 na rede privada**.

Há, até o momento, 5 óbitos confirmados de residentes de Goiás, sendo (4) em Goiânia e (1) em Luziânia. Há 10 óbitos suspeitos em investigação, sendo (1) em Araçu, (1) em Bonfinópolis, (1) em Caldas Novas, (1) Edealina, (1) em Itapaci, (1) em Luziânia e (4) que aguardam a confirmação do município de residência das pessoas. Já foram descartados 12 óbitos, sendo (1) em Águas Lindas de Goiás, (6) em Goiânia, (1) em Inhumas, (1) em Mineiros, (1) em São Luís dos Montes Belos, (1) em Senador Canedo e (1) em Valparaíso de Goiás.

Os registros estão no banco de dados do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) de Goiás. Ressalta-se que os números são dinâmicos e, na medida em que as investigações clínicas e epidemiológicas avançam, os casos são reavaliados, sendo passíveis de reenquadramento na sua classificação.

O Governo de Goiás, por meio da SES-GO, monitora sistematicamente suspeitas de novos  casos de Covid-19, seguindo rigorosamente as orientações do Ministério da Saúde para a identificação de novos registros.

* Óbito;
** Fonte: AHPACEG

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar