Opinião

A culpa não é só do PT

cronica_a_culpa_nao_e_so_do_pt

Ao longo de mais de 13 anos, o PT governou o Brasil e nos levou a uma crise imensa, que destruiu a malha moral da nação, nos jogou numa ciranda onde 14 milhões de pessoas perderam seus empregos, a economia foi desarticulada, as empresas quebraram, enquanto os líderes do partido e seus amigos ficaram incalculavelmente ricos.

A grande mentira petista acaba de ser desmascarada pelo IBGE. Lula e seus asseclas, entre eles a ensacadora de vento e o poste paulistano, não tiraram um único brasileiro da miséria. Ao contrário, graças a eles e aos seus desmandos, temos hoje 54 milhões de pessoas vivendo na pobreza e 15 milhões na miséria.

54 milhões de pessoas é cinco vezes a população de Portugal. Os governos Lula e Dilma podem se orgulhar de, em nome do povo, haver jogado o povo para baixo, enquanto davam o Bolsa Família para comprar voto e esconder as barbaridades que iam sendo feitas no mundo real.

Uma democracia vive do embate entre o governo e a oposição. A balança tem papel fundamental na estrutura do poder e a oposição tem que se colocar como contrapeso às ações do governo para gerar o equilíbrio que faz a nação progredir.

Ao longo de todo o governo petista, o Brasil não teve oposição. O partido que deveria fazer oposição sempre se omitiu, nunca saiu do muro e, quando saiu, foi para mostrar que não falava nada porque fazia as mesmas coisas de que o PT era acusado.

Ninguém nunca viu o PSDB carregar uma bandeira consistente. Mesmo o Plano Real, que serviu de bandeira para o PSDB chegar ao poder, não foi dele. Quem fez o Plano Real foi Itamar Franco. O PSDB nunca teria coragem de propor medidas como as que foram adotadas. Quer dizer, o PT tem muita culpa, mas a do PSDB não é muito menor.

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Adicionar comentário

Clique para comentar